Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia

Biologia molecular – Carga viral da captura híbrida 2 e risco cumulativo de 2 anos para neoplasia intra-epitelial cervical grau 3 ou câncer

Castle PE, Schiffman M, Wheeler CM. Hybrid capture 2 viral load and the 2-year cumulative risk of cervical intraepithelial neoplasia grade 3 or cancer. Am J Obstet Gynecol 2004;191(5):1590-7.

Neste trabalho os autores utilizaram o estudo Atypical Cells of Unknown Significance and Low-Grade Squamous Intraepithelial Lesions Triage Study, um ensaio clínico randomizado de 5060 mulheres com dois anos de seguimento realizado para avaliar as estratégias terapêuticas para as mulheres com citologia cervical equívoca ou levemente anormal. O objetivo foi determinar o valor clínico da medida semiquantitativa da carga viral do Papilomavírus Humano pela captura híbrida 2 para estratificação do risco de neoplasia intra-epitelial cervical (NIC) grau 3 ou carcinoma. Os autores examinaram a utilidade do resultado da captura híbrida 2 unidades de luz relativa/controles positivos com o uso de análises características receptor-operador. Os resultados encontrados mostraram que os valores de unidades de luz relativa/controles positivos não diferenciaram as mulheres com captura híbrida 2 positiva com NIC grau 3 ou carcinoma daquelas com lesão de menor grau. A utilização da definição de NIC grau 2 ou mais grave ou carcinoma não alteraram nossos achados. Como conclusão, entre as mulheres com citologia com células atípicas de significado indeterminado ou lesão intra-epitelial escamosa de baixo grau, a medida da carga viral da captura híbrida 2 não melhorou significativamente a detecção de casos cumulativos de 2 anos de NIC grau 3 ou carcinoma.