Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia

Coilocitose focal em colo uterino e vagina. Comparação da histopatologia com a biologia molecular para a Pesquisa do Papilomavírus Humano

Simone Madeira Nunes Miranda

Miranda, SMN. Coilocitose focal em colo uterino e vagina. Comparação da histopatologia com a biologia molecular para a Pesquisa do Papilomavírus Humano. São Paulo, 1996. Dissertação (mestrado)– Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo.

Pesquisou-se o HPV por PCR seguido de tipagem com “dot blot” em 29 espécimes de biópsia de colo uterino e vagina, cujo diagnóstico histopatológico foi de coilocitose focal. Este grupo foi comparado a dois grupos controles: o primeiro com diagnóstico de condiloma e/ou NIC I e, o segundo, com epitélio normal.

Nos 24 casos em que o material foi adequado para a pesquisa do HPV,o resultado foi positivo em quatro casos (4/24-16,7%), sendo este resultado semelhante ao encontrado no grupo normal (5/25-20%). Estes dois grupos, no entanto, diferiram de forma significante do grupo de condiloma/NIC I (16/28-57,1%). Quanto ao tipo de HPV, houve discreta predominância dos tipos 6/11 e dos considerados de risco intermediário para o grupo controle de condiloma/NIC I. Nos demais grupos, os tipos 18 e 6/11 predominaram nos poucos casos positivos.

Conclui-se que o achado histopatológico de coilocitose focal pouco se associa ao HPV, comportando-se de forma semelhante ao epitélio normal. O diagnóstico histológico de infecção pelo HPV deve ser evitado na ausência de sinais inequívocos do mesmo, poupando-se a paciente das seqüelas psicológicas deste diagnóstico e de tratamentos desnecessários.