Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia

Contribuição ao estudo da relação do Papilomavírus humano com o carcinoma invasivo da vulva

Valéria Holmo Batista Tuffi

TUFFI, VHB. Contribuição ao estudo da relação do Papilomavírus humano com o carcinoma invasivo da vulva. São Paulo, 1995. Dissertação (mestrado)– Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo.

Estudaram-se em 49 mulheres,com diagnóstico de carcinoma espinocelular invasivo da vulva, submetidas à biópsia ou vulvectomia, as principais alterações histológicas circunjacentes ao tumor. Foram encontradas 11 pacientes com sinais histológicos sugestivos da presença de papilomavírus. Correlacionou-se entre o grupo de pacientes positivas e negativas para os sinais histológicos do HPV, a idade, a menarca, a idade do primeiro coito e a menopausa, sem encontrar resultados significativos estatisticamente. Os resultados permitiram concluir que a média das pacientes com carcinoma invasivo e positivas para os sinais histológicos do HPV foi significativamente menor do que a das pacientes negativas para o HPV. A NIV III esteve associada com os sinais histológicos da presença do HPV. Não houve diferença significativa entre a média de idade das pacientes com NIV III e positivas, ou negativas para o HPV. Quando a NIV estava ausente, as pacientes positivas para o HPV eram mais jovens. Houve maior número de lesões múltiplas nas pacientes positivas para o HPV. A hiperplasia epitelial escamosa não esteve associada aos sinais histológicos do HPV nos tumores.