Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia

Importância da peniscopia, citologia oncológica e da histopatologia no diagnóstico da infecção peniana pelo Papilomavírus Humano.

Sérgio Mancini Nicolau

Nicolau, SM. Importância da peniscopia, citologia oncológica e da histopatologia no diagnóstico da infecção peniana pelo Papilomavírus Humano. São Paulo, 1992. Dissertação (mestrado)– Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo.

A infecção genital masculina pelo papilomavírus humano tem especial importância, pois freqüentemente é assintomática. Na maioria das vezes o indivíduo não apresenta lesão clínica. Por isso, os homens comportam-se como importante reservatório do vírus, exercendo papel especial na transmissão e perpetuação da doença.

Pelas razões expostas, estudaram-se 190 parceiros de mulheres com infecção genital por papilomavírus humano, associada ou não à neoplasia intra-epitelial cervical.

Todos os pacientes desconheciam ou negavam a presença de lesão genital.

A citologia uretral exibiu coilocitose em nove casos (4,7%) e, na coroa da glande e prepúcio distal, em três (1,6%).

A peniscopia após a aplicação de ácido acético a 5% revelou lesões brancas em 97,9% dos pacientes.

A solução do azul de toluidina corou a maior parte das lesões observadas.

Pelo menos um fragmento revelou coilocitose ao estudo histopatológico em 97 casos (51,05%).

Conclui-se que os três métodos se complementam, permitindo o diagnóstico mais preciso dessa infecção no homem .