Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia

Infecção por Papilomavírus Humano em mulheres HIV-Soropositivas :relação entre a estimativas de carga viral do HPV e os achados citopatológicos cervicovaginais,a quantificação de células CD4 positivas e a carga viral do vírus da imunodeficiência humana

Mollo, A . Infecção por Papilomavírus Humano em mulheres HIV-Soropositivas :relação entre a estimativas de carga viral do HPV e os achados citopatológicos cervicovaginais,a quantificação de células CD4 positivas e a carga viral do vírus da imunodeficiência humana. São Paulo, 2002. Dissertação (mestrado)– Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo.

A infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV) vem sendo cada vez mais diagnosticada em mulheres portadoras do vírus da imunodeficiência humana (HIV). Como a intensidade de uma infecção por vírus pode ser avaliada pela estimativa de sua carga viral, pretendeu-se avaliar grupo e estimativa da carga viral do HPV, em mulheres infectadas pelo HIV, através de Captura Híbrida, compará-los aos resultados de citologia cervicovaginais, á contagem sérica de células CD4 positivas, à carga viral sérica de HIV e aos resultados anatomo-patológicos. Foram avaliadas 57 mulheres HIV – soropositivas portadoras de infecção pelo HPV. Quanto ao grupo viral, houve predomínio pela infecção por HPV oncogênico sobre o não-oncogênico. E 17 casos a citologia não acusou a infecção pelo HPV e os achados citológicos sugerindo lesão de baixo ou alto graus estavam associados a maiores estimativas de carga virais de HPV oncogênico, quando comparadas a citologias negativas. Em relação à contagem de células CD4 positivas, observou-se elevada estimativa de carga viral média de HPV não-oncogênico frente aos resultados indicativos de imunossupressão. Não houve diferença significante com os resultados de exames anatomo-patológicos ou de carga viral do HIV. Mulheres HIV-soropositivas apresentam predominância de infecção por HPV oncogênico, sendo que maiores valores de estimativa de carga viral são concomitantes com achados citológicos suspeitos. O HPV não-oncogênico cursa com carga estimada média elevada quando na presença de imunossupressão. Os resultados obtidos reforçam a necessidade de complementação colposcópica no rastreamento das lesões HPV- induzidas na mulher HIV-soropositiva.