Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia

(Conização cervical) Regeneração cervical após excisão diatérmica por neoplasia intra-epitelial cervical

Paraskevaidis E, Bilirakis E, Koliopoulos G, et al. Cervical regeneration after diathermy excision of cervical intraepithelial neoplasia as assessed by transvaginal sonography. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol. 2002 Apr 10;102(1):88-91.

Parakevaidis e al 2002 estudaram a regeneração da cratera cervical após CAF e investigaram diferentes padrões de cicatrização dependente do tamanho da conização através de estudo prospectivo em 100 mulheres nulíparas que se submeteram à CAF. Estas mulheres realizaram USG transvaginal da cratera cervical imediatamente após a cirurgia e no pós-operatório de três, seis e doze meses. As dimensões da cratera dos 25 maiores cones foram comparados aos 25 menores cones. O tamanho médio da cratera aos 12 meses foi significativamente menor do que o tamanho da cratera imediatamente após a cirurgia. Apesar de existir diferença estatisticamente significativa nas dimensões médias da cratera entre os dois quartis imediatamente após a cirurgia, nenhuma diferença foi observada em 6 e 12 meses. Existe processo de cicatrização da cratera cervical, que está praticamente completo no sexto mês de tratamento. O defeito que permanece na cérvice é similar quando a excisão pequena ou grande é realizada.